Buscar
  • Rafael Corrêa

Mãe Estressada = Bebê Estressado

Você já viveu ou presenciou uma situação onde pessoas são “contaminadas” pelas emoções de outras? Esse tipo de experiencia não acontece somente na vida adulta; hoje já sabemos que os bebês e crianças também são afetados pelas emoções dos que os cercam.


Creio que a pessoa que mais afeta o bebê e criança são suas mães. Estresse de mãe é comum, ainda mais nas de primeira viagem, mas quando o estresse/tensão/ansiedade/preocupação estão em níveis elevados e mantidos por longos períodos, isso pode ser muito prejudicial também para os bebês e crianças.


Existem estudos recentes que já identificaram que bebês reagem ao padrão de estresse das mães, entrando na mesma dinâmica de estresse! Através de equipamento especializado, se mediu os sinais fisiológicos de estresse nas mães e em seus bebes. As mães que apresentavam maior índice de estresse ao serem reunidas com seus bebês, esses também começaram a apresentar o memso padrão e alterações fisiológicas do estresse de suas mães, e a reação sempre foi maior ao estresse negativo do que outros tipos! E saibam que, neste estudo, os bebês NÃO foram expostos ao fator estressante! Somente suas mães e depois, apenas pena reunião da mãe com o bebê, já foi o suficiente para que os bebês reagissem! (Psychological Science 2014, Vol. 25(4) 934 –942)


No estudo citado os autores identificaram o fato, mas não o explicam em sua origem. Sabemos que o cérebro humano apresenta vários compartimentos, sendo um deles chamado de “cérebro repitiliano” que seria a porção destinada a muitas das funções autônomas e instintivas do sistema nervoso. Em verdade os bebês não apresentam raciocínio complexo sobre o que eles vivenciam, eles apenas PERCEBEM ou SENTEM. E ao perceberem o entorno, seu sistema rapidamente reage a isso.


Creio que nossos bebês deveriam ser entendidos muito mais como nossos FILHOTES! A parte do sistema central que domina nesta fase é o que fez a espécie humana sobreviver! Pense que seu bebê funciona no módulo “FLORESTA”, pois é como se estivéssemos ainda habitando por lá que nossos bebês reagem.


O estudo citado somente registrou cientificamente o que observamos diariamente no consultorio... Uma mãe tensa e estressada trás um bebê com as mesmas características e nos pede ajuda para “tratar o bebê” pois ele não dorme, não mama direito, fica irritado e etc. É extremamente comum o foco voltar exclusivamente para o bebê e se esquecer das mamães... E as próprias mães esquecem delas mesmas!


Devemos criar um ambiente seguro e tranquilo para todos os bebês. As mães são o local mais seguro do mundo para seus filhotes, mas muitas vezes, não estão em nada tranquilas... Transmitindo todo seu padrão de estresse para seus filhos.


No estudo citado os autores identificaram o fato, mas não o explicam em sua origem. Sabemos que o cérebro humano apresenta vários compartimentos, sendo um deles chamado de “cérebro reptiliano” que seria a porção destinada a muitas das funções autônomas e instintivas do sistema nervoso. Em verdade os bebês não apresentam raciocínio complexo sobre o que eles vivenciam, eles apenas PERCEBEM ou SENTEM. E ao perceberem o entorno, seu sistema rapidamente reage a isso.


Se você gostou ou conhece alguém que pode se beneficiar destas informações, compartilhe.


120 visualizações

Rua Vergueiro, 1353, conj, 1205 - Torre Norte

Paraíso, São Paulo/SP - CEP: 04101-000   

RE - 8880 - SP

Tel: 011 2323-2234

WhatsApp: 11 93244-6690

  • Acesso o Linkedin Caring Hands
  • Acesse o Instagram Caring Hands
  • Acesso o Facebook Caring Hands

Caring Hands Osteopatia - Todos os direitos reservados © 2019 por 2simplemkt.com